Medicina alternativa


-???-

-???-


Reflexologia

Tratamentos > Corpo

A sua origem

A verdadeira origem da Reflexologia ainda é um mistério, acredita-se que ela tenha-se originado na China há 5.000 anos, sendo que existem evidências da Reflexologia em outras antigas civilizações, como a civilização Egípcia e a Babilónica.

O que é? Como funciona?

Reflexoterapia é a utilização terapêutica da Reflexologia. É uma técnica de tratamento por meio de estímulos numa área reflexa. Reflexologia é o estudo destas áreas, sendo um dos recursos da medicina natural ou medicina complementar, antigamente conhecida como medicina alternativa.

Tem como princípio que, no corpo humano existem locais chamados de Zonas Reflexas que representam o corpo de uma maneira microcósmica. Nessas Zonas, podem ser encontrados pontos específicos que estão interligados com partes específicas do corpo, órgãos e glândulas.

Através da reflexologia pode-se identificar os pontos que estejam congestionados ou em desequilíbrio, em alguns casos podem ser encontrados problemas que ainda estejam no campo etérico. Depois de se saber aonde se encontra o desequilíbrio, inicia-se um tratamento para equilibrar esses pontos.

Áreas reflexas
As principais áreas reflexas trabalhadas são:
As mãos (reflexo palmar);
Os pés (reflexo podal);
As orelhas (reflexo auricular);
A coluna (reflexo vertebral);
A face (reflexo facial);
O crânio (reflexo craniano).


A estimulação dos pontos e áreas podem-se fazer através das agulhas de acupunctura, da massagem, da aplicação de Reiki, moxabustão, etc.

Reflexologia nas mãos

Massajar as mãos, diariamente, pelo menos 3 minutos cada, traz benefícios à saúde que podem conduzir-nos à longevidade.

Técnicas básicas para as mãos

Andar com os polegares:
»Erga os dois polegares diante de si e dobre-os um de cada vez pela primeira articulação.
»Andar com os polegares e executar repetidamente este movimento, progredindo com os dedos encostados à superfície da pele.
»O movimento terapêutico está na pressão descendente exercida com o polegar dobrado. À medida que pressiona e avança, ponha ênfase na sua acção. Use apenas uma mão, a outra segura e apoia o pé ou a mão em que está a trabalhar.
»Deslize para a frente enquanto endireita o polegar, continuará a fazer alguma pressão à superfície e a manter o contacto, mas a principal intenção é avançar. A técnica de andar com o polegar é por vezes chamada andamento de lagarta.

Rotação:
»Pouse o polegar (ou outro dedo) num ponto da sua mão, ou pé, e faça uma rotação suave. Experimente exercer um pouco mais de pressão. Use esta técnica quando quiser trabalhar um ponto de pequenas dimensões.

Reflexologia podal

Os pés são riquíssimos em terminações nervosas - os plexos nervosos - que correspondem, na sua topografia local, a uma representação fiel de cada órgão que compõe o corpo humano.

Quando ocorre debilidade ou dificuldade funcional de um tecido ou órgão, as respostas ao estímulo dado provocam pequenos curtos circuitos, formando bolsas de sangue nos nossos pés. Os reflexoterapeutas conseguem localizar essa área e dissipar as bolsas, deixando livre o canal de comunicação entre os órgãos e o cérebro, aliviando sintomas e, muitas vezes, até mesmo curar.

Os plexos, quando estimulados correctamente, enviam e recebem informações dos órgãos a que são ligados, restabelecendo o funcionamento ideal e a saúde do organismo. A técnica permite que se faça uma leitura da personalidade do indivíduo através dos pés e, muitas vezes, consegue-se detectar problemas do paciente em menos de cinco minutos, só analisando o seu pé.

Não deve ser utilizada em total substituição à medicina ocidental (a não ser em casos de determinação do próprio médico). Na maioria das vezes, a técnica é utilizada como apoio à medicina, mas, em muitas ocasiões, ela pode ser curadora, sem a necessidade de tomar remédios e, até mesmo, evitar uma cirurgia.


Indicado para:
Stress;
Ansiedade;
Insónias;
Enxaquecas;
Falta de energia;
Má digestão;
Prisão de ventre;
Dores menstruais;
Sinusite;
Asmas;
Dores musculares;
Síndrome do pânico;
Menopausa;
Miomas uterinos;
Cistos ovarianos;
Artrite;
Labirintite;
Má circulação;
Depressão.






-???- | -???-